SESSÃO DE ENCERRAMENTO – ATÉ 29, DEZ 16H

O QUE HÁ EM TI

Carlos Adriano, 16′, 2020

Em 16 de março de 2020, em Brasília (capital do Brasil), um haitiano anônimo e desconhecido desafiou o chefe da nação: “Bolsonaro, acabou. Você não é presidente mais.” Este cinepoema contrapõe tal situação a duas operações militares da Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti), comandada pelo Brasil, em 6 de julho de 2005 e 22 de dezembro de 2006, em Cité Soleil (Porto Príncipe, capital do Haiti).
O filme convoca a canção “Haiti” (Caetano Veloso e Gilberto Gil; 1993) e referências à revolução Haitiana (1791-1804) e a obras culturais sobre o Haiti: o Canto IX de “O Guesa” (Sousândrade; 1871/1888); “Bur-Jargal” (Victor Hugo, 1791/1876); “The Black Jacobins” (C.L.R. James; 1938); “Haiti: le chemin de la liberté” (primeiro longa metragem do Haiti; Arnold Antonin; 1974); “Haiti: dreams of democracy” (Jonathan Demme; 1988); “Voodoo Macbeth” (Federal Theatre Project e Orson Welles; 1936); a filmagem inacabada do vodou e da dança no Haiti (Maya Deren; 1947-1955); o poema “Les cendres de Toussaint Louverture” (René Depestre; 1998); o projeto não-realizado de Sergei Eisenstein e Paul Robeson sobre Toussaint Louverture.